quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Vem, aparece...

Ó deusa cavernosa!
De que estás à espera?
Eu espero, espero...
Traz a tua vestimenta
E o material necessário.
Estou cansado de esperar.
Acaba com a ansiedade.
O riso acabou,
A alegria passou
Mas eu aqui estou,
Como uma fera,
À tua espera!

8 comentários:

Sandra disse...

:))

ía dezer: "sa malta soubesse de qm falas até podia dar te majudinha"

mazé mihor naum :))

smileeeeeeeeeee

besuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus

António Sabão disse...

Se dissesse, toda a gente ficava a saber, Sandrinha! :)

cassamia disse...

ai ele agora é assim??? cheio de segredinhos para os amigos???
nunca mais te conto nada!

Paula Raposo disse...

Os teus poemas são o máximo!! Beijos.

miriamdomar disse...

Deusa cavernosa?
Eu bem me aparece que tu ultimamente, andas muito tipo "homem das cavernas" !
Mas se ela gosta, continua!
ehehhee:))
Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Isso cheira-me a ritual sado-maso!

Bernardo Moura disse...

Gosto muito deste poema.
Grande abraço

António Sabão disse...

Poema de merda! :((((