terça-feira, 27 de maio de 2008

Dez? Abafo!!!


Estava eu no meu cantinho

Mas surgiu um papaçorda
Não há sossego que baste
Prá política ficar gorda

Gorda és, ó minha porca!
Mas vais ter que te haver comigo
Vai prá puta que te pariu
Meus amigos mais não digo

Agora continuem vocês
Que já estou mais que arrumado
Com mais um pequeno aumento,
No preço dos combustíveis,
Vou mas é daqui pra fora
Em busca de uns fusíveis!
Chegou a hora! Chegou a hora!
mas que grande confusão
A única coisa que sei?
Sócrates é um cabrão! Yap
Abaixo a gasolina
E o seu primo, o gasóleo!
Nesta vida paralítica,
Melhor é mamar na teta
Da porquinha da política!

Tenho dito!

António Freixo

5 comentários:

cassamia disse...

ah! poeta!!!!
:)

Bernardo Moura disse...

Mas que grande poeta este António Freixo!
:)

Sabão António disse...

Bolas enganei-me no nome! É António de Freixo! Sorry...

Olá!! disse...

E bem dizido ;))))

Mudaste de nome??? mudastiiiii????
hihi

Beijossssssssssss

Bernardo Moura disse...

António de Freixo? Que nome com classe. LOL
Ab