quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A morte saiu à rua

5 comentários:

f@ disse...

Que amor não me engana
Com a sua brandura
Se de antiga chama
Mal vive amargura

Duma mancha negra
Duma pedra fria
Que amor não se entrega
Na noite vazia

E as vozes embarcam
Num silêncio aflito
Quanto mais se apartam
Mais se ouve o seu grito

Muito à flor das águas
Noite marinheira
Vem devagarinho
Para a minha beira

Em novas coutadas
Junto de uma hera
Nascem flores vermelhas
Pela Primavera

Assim tu souberas
Irmã cotovia
Dizer-me se esperas
O nascer do dia

José Afonso
Mto bonita a música e a letra deste video beijinhos

Paula Raposo disse...

Uma boa escolha do Zeca! Milhões de beijos, António.

Jonas disse...

Ó Sabão, olha que essa música é sobre a morte do Dias Coelho,(se não me engano)também um pintor...assassinado pela PIDE.
Não estás com más ondas, pois não?

parvinha disse...

Grande Zeca!

Passei para mandar um abraço.

paranoiasnfm disse...

Zeca Afonso.. um GRANDE senhor. :D